quarta-feira, 18 de maio de 2011


JOKA

O HOMEM DA CIDADE NÃO CONHECE O CAMPO

A chuva cai numa noite de outono. Amanhã segunda-feira e estamos aqui tentando nos desvendar?  Sem internet sem nenhuma conectividade assistindo a TV a cabo e lendo alguns livros. Enquanto este globo roda. E tudo a nossa volta acontece. E temos a ligeira impressão que não aconteceremos? Caminhamos no sábado pelas mesmas praças e os mesmos eventos de sempre. Hoje já não somos os mesmos que antes e as pessoas também já não são as mesmas então porque repetirmos velhas formulas e não buscamos algo diferenciado? Que nos de força e animo para criar algo realmente novo?  Os dilemas que nos movem são os mesmos. A conquista de um lugar ao sol no cenário da vida. Mas que conquista se pode fazer hoje neste universo politicamente correto de nossa sociedade? Onde as ONGs ambientalistas que são pragas pagas com o dinheiro dos ricos e mercenários de outros países.Tentam impor um novo código florestal? Não deixo de defender o meio ambiente acho que parte da Serra da Mantiqueira merece ser reflorestada. Acredito que se deva ter um debate entre Ruralistas,MST,Via Campesina. Temos sim que preservar nossos rios e florestas. Mas precisamos fazer um debate que gere um equilíbrio entre a produção agrícola de nosso pais e a preservação do meio ambiente nisso consigo entender a posição de Aldo Rebelo nós que vivemos hoje nas cidades num passado não muito longe em poucas décadas atrás nossos pais, avós viviam no campo. E queremos com uma mudança de lei prejudicar os pequenos proprietários de terra? Quem dera eu possa me fixar no campo se tivesse uma oportunidade não a perderia. A região Sul e Sudeste é feita de pequenos sitiantes que sobrevivem da lavoura e da criação de gado. Cabe a nós cidadãos que nos achamos politizados defender estes pequenos produtores. Esta lei que se debate é importante para o pais. Devemos escutar sem satanizar nenhum movimento seja o MST,Via Campesina e os Ruralistas. Quantos as ONGs Internacionais devemos ver qual o papel que elas têm em nosso pais. Conheço vários ambientalistas em minha cidade são pessoas idealistas. Mas qualquer um de nós realmente entende a necessidade dos nossos homens do campo? Fui numa reunião com este tema promovido por um deputado via várias pessoas falando. Mas as de sempre velhos militantes políticos que acham que devem opinar sobre todos os assuntos.Prefiro pesquisar e me aprofundar no tema. O que conheço do campo são meus passeios em fim de semana enquanto turista.Que me faz sentir a presença da natureza. Como disse um deputado depois voltamos temos nosso café, nosso leite, nossa TV a cabo. E internet. E nosso salário garantido no fim do mês. E achamos ruim que se asfalte uma estrada. Como a de Bonete em Ilha Bela ou em algum lugar da Mantiqueira. E o homem do campo sujeito a geadas, hoje em dia a multas de fiscais do IBAMA? E a financiamentos bancários que como presenciei muitas vezes na minha família se faz perderem as terras. Enquanto nos Estados Unidos e Europa governos subsidiam a produção rural e fortalece os produtores rurais. E em nosso pais se faz isto? Não é hora de se repensar a política econômica para fixar o homem na terra? De se levar infra-estrutura ao campo? Hoje no Sudeste o turismo rural tem salvado muitas propriedades da ruína. Como a plantação de eucalipto que segundo os ambientalistas e danosas a ecologia de nosso pais. Mas estes ambientalistas têm propostas econômicas para as propriedades rurais? É fácil sermos Quixotes enquanto somos, professores, funcionários públicos, sindicalistas, comerciantes, políticos. Vamos viver no campo sem estas profissões conseguiremos? Acho que voltaríamos á cidade cheio de dividas? Criticar é fácil apresentar soluções de verdade é difícil. Sermos ambientalistas, que tem carro, usa celular, freqüenta shoppings. E cada dia aumenta nossa obesidade mórbida. Sejamos políticos com P maiúsculo apresentemos soluções sociais e econômicas para a sociedade na qual vivemos e consumimos. Ser radical e não construir um movimento social de verdade é ser hipócrita e demagogo. Cansei de nossos falatórios nos achamos donos da verdade. E nunca plantamos uma arvore. Nunca aramos uma terra. Nunca defendemos de verdade o homem do campo. Devemos ir ao universo rural e ouvir o mais humilde homem do campo. De resto somos apenas militantes de reuniões que nunca dão em nada. Só servem para abastecer nossos egos. E aumentar nossas vaidades. Quem nunca tirou um leite. Quem nunca tangeu uma boiada. Quem nunca plantou conhece verdadeiramente o campo?

JOKA
joão carlos faria